Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mil e uma maneiras de ver as coisas

Mil e uma maneiras de ver as coisas

Entre o coração e a razão

Será que quando se gosta de alguém ou alguém gosta de nós existem sinais?! É que se existem passam-me todos ao lado. Nunca fui muito boa a percecionar esse tipo de coisas e esse tipo de intenções. 

E depois há sempre a questão de achar piada a alguém e ser incapaz de expressar seja o que for. Como é que se mandam os ditos sinais de que se está interessado? Não se pode ser demasiado evidente mas também não se pode ser tão discreto que a pessoa não perceba nada.

Dizem que se percebe, que no fundo do nosso coração sabemos quando alguém está interessado. Mas saberemos mesmo? E depois mesmo que o coração diga: bem se calhar, parece que essa pessoa está interessada. A cabeça, a razão diz: mas e se o coração estiver enganado? Sê racional e olha para as evidências. 

Chega a um ponto que já não se sabe o que é o coração e o que é a razão. Chega uma altura em que se tem medo de arriscar, porque já se arriscou e não correu pelo melhor. Quando só se conhece o efeito de correr menos bem, depois tem-se medo de nunca conhecer o efeito de correr bem.

E há uma altura em que chega a ser irritante aquela vozinha dentro da cabeça que passa a vida a gritar: fala com ele/ela, vai ter com ela/ele. E depois a razão entra em ação e pensa: não quero ser inconveniente ou demasiado insistente que isso pode afastar a pessoa. 

Basicamente fica-se sem saber se se deve seguir o coração ou a razão. 

 

5 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D