Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mil e uma maneiras de ver as coisas

Mil e uma maneiras de ver as coisas

Escolhas

Saber o que queremos. Ora isto não será uma coisa tão fácil como parece. Começa até pelo mais básico: Chegámos a uma pastelaria e temos uma variedade enorme de bolos à nossa frente. Primeiro que consigámos perceber o bolo que queremos efetivamente escolher é um problema. Às vezes até entramos na pastelaria com um bolo já em mente, mas depois apresentam-se-nos uma banca de bolos gigante e as dúvidas surgem na nossa mente imediatamente. Será que quero mesmo o Croissant de chocolate ou prefiro o bolo de bolacha?! 

Esta lógica da pastelaria aplicar-se-á a quase tudo na vida. A vida é feita de escolhas, umas mais fáceis como escolher o bolo na pastelaria e outras mais difíceis que têm mesmo repercussões na nossa vida (escolher o curso universitário, escolher a pessoa com quem queremos ter uma relação, escolher a profissão que queremos exercer).

O importante mesmo é aceitar as nossas escolhas e aceitar o caminho onde elas nos levam. Deixar de considerar caminhos secundários e aceitar aquele caminho que nos é apresentado. E sobretudo pensar que podemos sempre mudar o caminho, podemos sempre criar outro caminho. Se não estamos felizes naquele curso universitário podemos sempre mudar de curso, se não estamos felizes naquela relação, podemos sempre acabar.

Nós somos o mais importante e tudo o que podermos acrescentar de bom, é bónus! 

 

Looking for happiness

Temos normalmente tendência a esquecermo-nos de procurar a felicidade. Acomodamo-nos em situações que se calhar já não nos fazem tão felizes porque não temos coragem de entrar no desconhecido. Há que pensar que se calhar o desconhecido poderá trazer mais felicidade do que a monotonia do conhecido que já não nos faz feliz. 

 

Mil e uma maneiras de ver as coisas

Há sempre mil e uma maneiras de ver as coisas. À medida que crescemos vamo-nos apercebendo que nem tudo é linear e que há sempre várias formas de ver diferentes questões. Muitas vezes desejariamos que só existisse o nosso ponto de vista.  Gostariamos que tudo corresse como nós desejamos. Mas a vida não é assim. Não é só preto no branco. Às vezes encontramo-nos numa área cinzenta e essa área cinzenta assusta. O que para nós parece impensável, para outros é uma forma acertada de ver as coisas. 

Há alturas em que temos mesmo de ponderar qual o caminho ou a maneira de ver as coisas mais correta, se é a nossa ou a dos outros. Muitas vezes nós somos muito inflexíveis e não queremos aceitar formas diferentes de ver a vida e perdemos oportunidades por isso. Mas há alturas em que devemos simplesmente seguir o nosso coração e não ir contra a nossa forma de ver a vida. 

No final de contas temos que ser fiéis a nós próprios. Porque sejam elas mil maneiras de ver as coisas a maneira de ver as coisas que realmente importa é a nossa. 

Pág. 2/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D