Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mil e uma maneiras de ver as coisas

Mil e uma maneiras de ver as coisas

Pensamento do dia

 Há pessoas que surpreendem pela negativa. São tão inseguras e maldosas que em vez de perceberem as outras pessoas e apoiarem o seu sucesso, não. Tentam por todos os meios que essa pessoa caia. Tentam até pelas formas mais alucinantes que a pessoa se magoe. E o mais incrível é que às vezes conseguem que a pessoa caia. Conseguem que a pessoa se magoe. Conseguem assistir ao cair da pessoa e ainda se ficam a rir. 

Acredito que se riam durante um bocado, enquanto que a pessoa ainda se está a levantar de novo. Mas quando a pessoa se levanta e segue em frente, não há nada que a pare. Não há nada que a impeça de ser feliz. Toda aquela inveja e maldade, toda aquela energia negativa que emana daquela pessoa, já não a atinge. 

Somos aquilo que fazemos e os caminhos que escolhemos. Acredito na lei do retorno. Todas as más energias que algumas pessoas mandam para as outras encontram o seu caminho de volta para essas pessoas más. É só uma questão de tempo. 

Acredito que devemos fazer o nosso caminho sem querer o mal dos outros. Para quê invejar aquilo que os outros têm? Se queremos alguma coisa temos de lutar por ela. Toda a gente que tem alguma coisa, lutou por ela, esforçou-se para a conseguir. Invejar os outros e querer-lhes mal não vai fazer com que coisas boas nos aconteçam e não vai fazer com que consigámos alguma coisa.

Cada um tem aquilo que merece. É uma frase difícil de acreditar quando vemos pessoas más a "ganhar" alguma coisa com essa maldade. Mas o que ganharam realmente? Será que aquilo que elas supostamente ganharam era assim tão importante para nós? Se calhar não.

 

Férias e engordar

Curioso perceber que se engordou durante as férias ... por mais que se caminhe imenso e se faça algum exercício, engorda-se na mesma pelo menos 3 quilos. 

Há uma correlação direta entre estar de férias e engordar que eu nunca tinha reparado. Assim como há uma correlação direta entre ir trabalhar ou começar as aulas e emagrecer. 

Acho que nas férias deve-se mesmo comer o que apetece e dormir até tarde. Tem que se aproveitar para fazer realmente o que apetece durante as férias, senão quando faremos o que nos apetece?! Não podemos esperar pela rotina do trabalho para ver aquele filme na sessão da meia noite ou ir àquela festa no barzinho que tanto gostamos ou comer aquela comida altamente calórica, mas deliciosa no nosso restaurante favorito. 

Há que aproveitar enquanto se pode, mesmo que isso implique engordar uns quilinhos. Parece um paradoxo engordar nas férias de verão, visto que é nesta altura que se quer o corpinho mais atlético, mas não há o que fazer. É abraçar estes novos quilinhos que se ganha e pensar que quando se voltar ao ginásio em Setembro se vai perder todos aqueles quilinhos e que, em Dezembro, já se vai ter novamente aquele corpinho atlético de que tanto se gosta. É verdade que se chega a Dezembro e se ganha novamente os quilinhos porque Natal e Ano Novo não são propriamente festas onde se consiga manter uma alimentação saudável. 

Pensando bem, é impossível manter o corpinho atlético porque todo o ano há algum motivo para engordar. Seja Natal, Páscoa ou férias de verão nunca se consegue evitar ganhar aqueles 3 quilinhos extra. :) 

Por isso mais vale mesmo comer, sem culpa ou ressentimentos. Esses três quilinhos vão desaparecer por volta de Outubro, mas voltarão em Dezembro, por isso não há que preocupar. Já sabemos que eles vão voltar ;) 

 

 

 

Desafios

Há pessoas que se acobardam logo à partida quando começam a ver dificuldades. Não consigo perceber essa forma de viver. Penso que perante um desafio, por maior que ele seja, deve-se "agarrar o touro pelos cornos" e andar para a frente. Deve-se tentar e tentar até conseguir ou até falhar redondamente. Mas pelo menos tenta-se com todas as nossas forças.

Acho que pessoas habituadas a ter tudo o que querem facilmente se habituam de tal modo à facilidade que perante um desafio se acobardam logo e se acomodam no que é familiar.

Questiono-me se essas pessoas alguma vez serão verdadeiramente felizes. Será que se consegue ser feliz sem tentar? Será que se consegue ser feliz não saindo daquilo que é familiar?

Acho que por mais medo que se tenha, não se pode deixar o medo ganhar. Tem que se arriscar, mesmo que isso signifique falhar e ficar triste. A tristeza um dia passa e falhar permite aperfeiçoar. Pode não se saber quando a tristeza e a revolta de se ter falhado vai passar, mas ela vai passar certamente e quando isso acontecer já se terá coragem de arriscar e falhar ou acertar quem sabe. 

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D