Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mil e uma maneiras de ver as coisas

Mil e uma maneiras de ver as coisas

O amor realmente acaba?

Às vezes é mais fácil pensar que quando duas pessoas seguem caminhos diferentes que isso aconteceu porque o amor terminou e porque já não sentem nada uma pela outra. Porque essa pessoa já não é especial, porque essa pessoa nunca sentiu por nós o que sentimos por ela.

Talvez essas ideias que colocamos na nossa cabeça sejam apenas mecanismos de defesa. Não queremos pensar muito naquele assunto, não queremos pensar muito naquela pessoa e é mais fácil, para seguir em frente, simplesmente pensar que essa pessoa já não sente nada e nunca sentiu. 

Pensar que foi algo especial custa mais e faz com que seguir em frente seja mais doloroso. É preciso tempo para nos permitirmos aceder a essa parte do pensamento, a essa parte do cérebro, a essa gaveta que fechamos porque tinhamos medo de abrir.

Depois de nos permitirmos aceder a essa gaveta e experimentar alguma dessa recordação do que foi bom, depois de percebermos que muitas vezes não tem mesmo que acontecer, que muitas vezes o amor é amor, ainda que transitório. Que os sentimentos existiram apesar dos relacionamentos terem acabado. Depois de percebermos que o amor não acontece apenas uma vez, está sempre a acontecer, seja amor romântico, seja amizade, seja em qualquer outra das suas formas. 

Aí entendemos o que passou, conseguimos realmente abraçar o que está a acontecer e o que está por vir. 

E no fundo amor não acaba, apenas muda de forma e por vezes torna-se memória a guardar e preservar.

ross and rachel 2.jpeg

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D